Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
análises
Subnautica: Below Zero

Subnautica: Below Zero

Sobreviva em temperaturas negativas com a ajuda de pinguins robóticos.

HQ
HQ

O nosso primeiro encontro com o Subnautica original envolveu sair da nossa pequena nave, acabada de embater no mar com toda a força, para observarmos um enorme oceano que se estendia em todas as direções. Estávamos sozinhos numa pequena cápsula de resgate, de uma enorme nave despenhada ao fundo, e tínhamos de tentar sobreviver. Como? Explorando as profundezas do mar de um estranho planeta. Era um mundo de jogo colorido e cativante, com um design de som incrível e excelentes mecânicas de sobrevivência. A prioridade passou por encontrar comida e água, mas eventualmente começamos a ter acesso a tecnologias maravilhosas que nos encantaram.

Tínhamos por isso grandes expetativas para este Subnautica: Below Zero, um jogo a meio caminho entre expansão e sequela para o original, que esteve vários anos em acesso antecipado. Agora, disponível para PC e consolas, partimos à descoberta de mais um mundo fantástico, agora na pele de Robin Ayou, uma bióloga de vida extra-terrestre que procura a sua irmã, desaparecida sem deixar vestígios.

O jogo começa de forma dramática, de tal forma que não lhe vamos estragar essa surpresa. Depois disso arranca finalmente a sua aventura, num planeta gelado. No antecessor as áreas terrestres eram pequenas e raras, mas são bem mais comuns em Below Zero. Até terá acesso a veículos novos para cobrir terreno, como um hovercraft fantástico, mas não está de férias, apesar do encanto que o mundo transmite. Existem muitas criaturas perigosas que adorariam tornar Robin na sua próxima refeição, tanto no mar, como no solo. O jogo até inclui uma pitada de terror, tal como o original, com secções capazes de gerarem pânico no jogador.

Nesta nova aventura terá acesso a várias ferramentas inéditas, mas o destaque tem de ser o novo pinguim robótico que pode construir. É que existem criaturas que não pode investigar devidamente, porque fogem, mas este pequeno "espião" consegue cumprir esse papel sem problemas. Um novo elemento com o qual terá de se preocupar é, naturalmente, o frio. Quando está no mar não é tanto um problema, mas terá de lidar com as temperaturas geladas deste planeta quando estiver em terra. Existem fatos especiais que permitem manter a temperatura num nível aceitável, e também bebidas e comidas quentes que o podem aquecer durante algum tempo. Outras preocupações envolvem chuva e queda de granizo, dos quais terá de se proteger. É uma excelente adição ao lado de sobrevivência, embora nos pareça que o frio também podia ter sido melhor explorado nas secções aquáticas.

Subnautica: Below ZeroSubnautica: Below Zero

Mas não faltam novidades, que adicionam algo novo e excitante a uma experiência de jogo que podia tornar-se demasiado familiar. Ter uma nova história, com um foco bem definido, também ajuda - embora sem nunca retirar espaço à exploração livre do jogador. Quanto ao mundo, é variado e envolvente, incentivando o jogador a explorar cada pedaço, sem nunca saber ao certo o que irá encontrar. Além da história também existe muita fauna e flora para encontrar, analisar, e conhecer melhor, tudo catalogado para leitura posterior.

Como referimos em cima, Below Zero não é exatamente uma sequela, mas algo que começou a ser construído como uma expansão, e que depois se tornou num produto independente. Isto significa que não é tão inovador quanto o original, nem tão longo, e embora seja bom ter uma história tão focada para seguir, acaba por impressionar menos que a narrativa do jogo anterior - algo que é raro ver em jogos de sobrevivência. Mas a história maior é aquela que terá de criar por si mesmo nas suas explorações, conforme perde o medo de se afastar largos quilómetros da sua base. Se jogou o anterior, recorda-se certamente da sensação de estar longe da sua base, a explorar o verdadeiro desconhecido. Felizmente existe uma espécie de caminhão marítimo que pode funcionar como uma espécie de base móvel, semelhante ao submarino do jogo anterior.

Dependendo de como abordar a aventura e a história, Subnautica: Below Zero pode durar entre 12 a 40 horas. A história não é grande, mas existe muita exploração, construção de bases, e pesquisa à sua espera, caso decida gastar mais algum tempo neste mundo maravilhoso. Quanto ao lado técnico, encontrámos alguns bugs aqui e ali, mas nada que mereça ser assinalado - nota que jogámos a versão PS5, logo não podemos realmente falar da qualidade das versões PS4/Xbox One, e Switch. Embora familiar, se já jogou Subnautica, existem aqui novidades suficientes para recomendarmos Below Zero a fãs do original, e de jogos de sobrevivência no geral.

HQ
Subnautica: Below ZeroSubnautica: Below Zero
Subnautica: Below ZeroSubnautica: Below Zero
Subnautica: Below Zero
Subnautica: Below Zero
Subnautica: Below Zero
Subnautica: Below Zero
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Mundo de jogo é lindo. Excelente design com uma atmosfera brilhante. Banda sonora soberba. Boa variedade.
-
É algo curto. A história não está bem ao nível do antecessor.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte