Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
antevisões
Elden Ring

Elden Ring - Primeiras Impressões

Vimos pela primeira vez Elden Ring em ação, numa demonstração por parte da Bandai Namco.

HQ
HQ

Dark Souls, Bloodborne, Sekiro: Shadows Die Twice... todos os jogos anteriores da FromSoftware que saíram depois de Demon's Souls conseguiram combinar um sistema de combate desafiador com uma sensação de exploração empolgante. Esse sim tem sido o verdadeiro segredo do estúdio, porque quem realmente joga os títulos da From Software sabe que o seu apelo vai muito além da sua dificuldade. Dito isto, essa jogabilidade desafiante é também uma parte importante da equação, onde um erro pode fazer a diferença entre a vida e a morte. É essa a mistura vencedora da From Software: exploração envolvente e empolgante com um sistema de combate altamente gratificante.

O próximo jogo da From Software, Elden Ring, será algo completamente original, sem ligação a nenhum projeto que veio antes, mas esses dois pilares - exploração e combate desafiador - vão voltar a ser os pilares da experiência de jogo. Apesar dessa realidade, o estúdio pretende aventurar-se por alguns caminhos inéditos com Elden Ring, que vai incluir uma estrutura em mundo aberto e elementos RPG mais tradicionais, a começar por uma história apresentada de forma mais direta ao jogador. Durante a Gamescom tivemos a oportunidade de ver como isso irá acontecer, numa sessão com a Bandai Namco.

Em Elden Ring irá assumir o controlo do "Tarnished One", que será guiado pela luz reduzida de Lost Grace, através do mundo de Lands Between. Foi esta a descrição da história por parte da Bandai Namco, que também revelou que o jogador poderá encontrar os antigos deuses pelo caminho, outrora responsáveis pela destruição do Elden Ring. Derrote esses deuses antigos e poderá tornar-se num Elden Lord... ou pelo menos foi isso que o motivou a aventurar-se por essa terra "além do nevoeiro".

Isto é apenas a premissa, de uma "narrativa complexa formada por várias camadas", construída com a ajuda de George R.R. Martin, o autor da saga Game of Thrones. O autor ajudou a criar esse mundo, e foi consultado para vários elementos, embora o guião em si tenha sido escrito por Miyazaki. Embora o estúdio pretenda apresentar uma história mais concreta do que apresentou nos seus outros jogos, vai manter muito do enredo aberto à interpretação, já que isso é algo que parece agradar imenso aos fãs do estúdio. Quanto à duração da história, deve rondar as 30 horas de jogo, sendo possível alargar esse tempo com objetivos secundários.

Elden RingElden Ring

Como já referimos, Elden Ring será baseado num mundo aberto, muito mais amplo do que vimos noutros jogos da série. Isso significa que o jogador terá de aceder a ferramentas para navegar esse mundo, algo que não era necessário nos jogos anteriores devido a um design linear e altamente focado. Que ferramentas? Bem, terá acesso a uma espécie de cavalo fantasmagórico (que pode invocar a qualquer momento exceto em masmorras), a um mapa, e a uma bússola. Nesse mapa pode marcar pontos de interesse, como tesouros, recursos, e a localização de monstros, por exemplo. Com a bússola pode verificar o caminho a seguir, servindo-se dos pontos cardeais.

Durante a demonstração avistámos um grupo de soldados ao longe, que guardavam algo. Conforme a personagem se aproximou, contudo, um dragão desceu do céu e dizimou os guardas - uma ocorrência clássica que acontece em quase todos os jogos From Software. O tesouro está agora guardado pelo enorme dragão, e obtê-lo tornou-se num desafio bem mais complicado. Cabe ao jogador decidir se vale a pena correr esse risco ou seguir em frente.

Ainda não vimos muito do mundo do jogo, mas parece evidente que Lands Between será formado por biomas diferentes. Vislumbrámos picos cobertos de neve, florestas de várias cores, vastas pradarias, e um pântano envolto em névoa, revestido por enormes cogumelos. A principal tarefa desta região passa por levar a várias "Legacy Dungeons", que segundo a Bandai Namco, terão um formato mais parecido com o que conhecemos nos outros jogos do estúdio. Um desses níveis é o Castelo Stormvale, protegido por um poderoso Elder Lord.

Ao bom estilo da From Software, o Castelo Stormvale apresenta dois caminhos que o jogador pode seguir. O mais óbvio está recheado de inimigos e ainda força o jogador a ser alvo de balistas, mas existe um segundo caminho escondido que o jogador pode tentar encontrar, bem mais seguro que o percurso direto. De acordo com o representante do estúdio, estas áreas serão uma reminiscência do design complexo com várias camadas pelo qual o estúdio é conhecido. Essa fórmula será no entanto expandida em Elden Ring, com uma nova mecânica de movimento. É que à semelhança de Wolf em Sekiro: Shadows Die Twice, o Tarnished One terá a capacidade para saltar, e isso levou o estúdio a desenhar níveis com mais verticalidade.

Elden RingElden Ring

A variedade de opções táticas será outro elemento que irá distinguir Elden Ring de outros jogos Souls. Como acontece nos Souls, poderá desenhar a sua personagem para diferentes estilos de combate, como um guerreiro corpo a corpo, um mago, ou um arqueiro, por exemplo. Neste jogo, contudo, será encorajado a considerar todas as possibilidades de combate disponíveis. Por outras palavras, poderá focar-se num estilo específico, mas não deve ignorar por completo as outras artes de combate.

Para exemplificar como isso irá funcionar, mostraram-nos um segmento de infiltração a um pequeno acampamento. Antes de entrar o jogador examinou acampamento com binóculos, de forma a encontrar a rota mais adequada para o tesouro fortemente guardado. O jogador depois aproveitou a relva alta para se esgueirar, anestesiou um guarda com uma flecha para dormir, e depois eliminou outro com um só golpe furtivo. Mas apesar do seu esforço, eventualmente o alarme tocou e alertou os restantes inimigos, momento em que o jogador aproveitou para invocar um pequeno grupo de espíritos, que mantiveram vários soldados ocupados.

Como já deve ter percebido, jogabilidade furtiva será parte da equação, mas isso não significa que pode adiar eternamente o confronto. Elden Ring continua a ser mais um jogo de combate do que de ação furtiva, mas não terá de enfrentar esses oponentes sozinho. Em monumentos de pedra pode invocar companheiros controlados pela inteligência artificial, de diferentes estilos de suporte. Só pode, contudo, invocar um assistente por descanso. Em alternativa pode invocar outros jogadores, mas isso também irá tornar os oponentes mais fortes. Não será uma experiência co-op também livre como noutros jogos, mas a From Software promete ter simplificado e facilitado o processo de jogabilidade cooperativa, comparativamente a Souls e Bloodborne.

De certa forma esta apresentação de Elden Ring a que tivemos o privilégio de assistir foi uma revelação relativamente ao que é o jogo, mas embora entusiasmados, ainda não estamos totalmente convencidos. A From Software pretende criar um RPG em mundo aberto combinado com o seu sistema de combate icónico e a liberdade de criação de personagem dos Souls. As Legacy Dungeons irão provavelmente atender às expectativas da maioria dos fãs, mas e o resto do jogo? Explorar áreas intrinsecamente interligadas é algo completamente diferente de passear por um enorme mundo aberto, porque exige outro tipo de incentivos e de abordagem ao design. Acreditamos que será um verdadeiro desafio ao estúdio, e estamos ansiosos para ver se serão capazes de o ultrapassar.

Elden RingElden Ring

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte